17 Novembro, 2013

aceite-se.

 
 
"No momento que se aceita a si próprio, fica aberto, fica vulnerável, fica receptivo. No momento em que se aceita a si próprio, deixa de haver necessidade de qualquer futuro, porque deixa de haver necessidade de aperfeiçoar seja o que fôr. Então tudo é bom, e então tudo é bom tal como é. E nesta mesma experiência, a vida começa a tomar novas cores e nasce uma nova musica.
 
Se se aceitar a si próprio, passara a aceitar tudo. Se se rejeitar a si próprio, basicamente estará a rejeitar o Universo; a existência. Se se aceitar a si próprio é porque aceitou a existência. E então não haverá mais nada a fazer do que alegar-se, celebrar. Não haverá e lugar para o azedume, não haverá lugar para o rancor; sentir-se-á agradecido. E a vida será boa e a morte será boa, e a alegria será boa e a tristeza será boa, e estar na companhia dos que lhe são queridos será bom e estar sozinho será bom. E tudo o que acontecer será bom porque sai do todo.
(...)
Aceite-se a si próprio - isso é prece. Aceite-se a si próprio - isso é gratidão. Relaxe no seu ser - é assim que Deus o quis. De nenhuma outra maneira ele o quis; senão tê-lo-ia feito uma pessoa diferente. Foi voce que ele fez, e não outra pessoa. Tentar ultrapassar-se a si próprio é basicamente tentar ultrapassar Deus - o que é simplesmente estupidez, e voce ficará cada vez mais louco ao tentá-lo. Não chegará a lado nenhum, terá simplesmente perdido uma grande oportunidade" - OSHO, Intimidade.  

08 Setembro, 2013

ame.

 
 
Ame. Limite-se simplesmente a amar no incondicional, a si mesmo, ao outro, a tudo o que a existência nos oferece, simplesmente por oferecer.
Ame. Limite-se a sentir, a aceitar e a ser, a cada instante, de forma total e  integral. Não julgue seja o que for. Dê o amor que nutre e que o alimenta o melhor que sabe e faça-o mais loucamente que sente, o mais genuinamente e natural que possa. Surpreeenda-se a surpreender.
Não desconsidere, não desvalorize nem menospreze a Luz do Amor de outro Ser para consigo. Não cometa essa injustiça e desamor a quem o ama, muitas das vezes bem mais que você próprio. Pode estar aí a tábua de salvação, ainda encoberta no lodo do lamaçal, escondida no quarto minguante da Lua que se não revela ou na nuvem cerrada que parece desviar o raio de Sol.
 

06 Agosto, 2013

amor ou ódio? simples.

 
Afinal, tudo se resume de forma espantosamente simples: ou és um ser de Amor ou és um ser de Ódio. Ou optas por exalar Amor ou por exalar Ódio. Ou optas por ser um instrumento do primeiro ou por ser um instrumento do segundo. Não existem outras opções ou alternativas.
Esta é a questão primeira que todo o Ser deve colocar-se a si mesmo. Tudo o mais é sua consequência, efeito ou decorrência porque ou existe Amor e o Ódio inexiste ou existe este e aquele esfuma-se.
Bem simples, portanto.
 

31 Julho, 2013

atreva-se

Que não reste dúvida alguma: cada Ser, na sua infinita complexidade e singularidade, é o único, o exclusivo, o primeiro e o ultimo responsável pelo seu próprio sofrimento, muito em especial por aquele que o destrói e aniquila. Portanto, cada um é responsável pelo seu próprio estado, na exacta medida da sua Responsabilidade, Consciência e Liberdade.
Tenha a coragem - rara, ardúa e exigente - de ser livre, ser responsável por essa sua liberdade inalienável e seja dela plena e totalmente consciente.
Ame incondicionalmente.
Nada o destruirá, pois o amor é absolutamente terapêutico.
Atreva-se simplesmente a Amar e ser consequente com esse Amor em todo o seu Ser. Nada mais lhe pode ser pedido nem mais lhe é exigido para ser feliz, pleno e total.
*
Por prevenção, não se iluda nem desiluda, pois ilude-se quem vive em ilusão e desilude-se quem nela está mergulhado.
Não desperdice o único bem que tem para viver e ser o que é: o seu presente. Largue o passado e não se fixe no futuro, nenhum existe. São pura ilusão.
Só no presente, neste preciso momento, qualquer estado de sofrimento pode ser evitado, tratado ou transmutado.
Só no presente, neste preciso instante, pode agir, actuar, mudar, alterar da forma mais fácil, simples e possível, pois só este é o  momento certo.
Só no presente é possível desconstruir, descomplicar, ser livre e pleno. Atreva-se a viver, a amar e a ser, sendo efectivamente, aqui e agora.
O Universo, não duvide nunca, reclama tudo isso e só isso de e para si.

13 Junho, 2013

existencial

 
 
"Para que se conhecer a existência, tem de ser existencial. E você não é existencial, vive de pensamentos. Vive no passado, no futuro, mas nunca no aqui e agora. E a existência é precisamente aqui e agora. (...) Pensa que vive, mas não vive. Pensa que ama, mas não ama. Apenas pensa no amor, pensa na vida, pensa na existência, e esse pensar em si é a questão, esse pensar é uma barreira. Abandone todos os pensamentos e verá. Não achará uma única pergunta; só a resposta existe." - Osho, "Intimidade".

28 Maio, 2013

por uma vez

Manifesta-se através de mim, bem longe da minha vontade, da minha mente e muito para além da minha disponibilidade, traços que se me revelam e aos quais limito-me a aceitar como dádivas do Universo, porque nucleares para a minha consciência individual do que Sou.
O da espiritualidade - e todo o ser é espiritual, por natureza inalienável - que me vai facultando compreensão às perguntas fundamentais da própria Existência enquanto tal. E serve de meu guia mestre.
O da Linguagem Vibratória da Vida que constitui, acima de tudo, revelação de mim mesmo para comigo próprio, em contínuo e em permanência. E a capacidade, ainda muito parca e ténue, de simplesmente retribuir ao Universo, dando alguma ajuda ou protecção a quem o queira, quando se possa e deva.
O das memórias de terapeuta holístico, obtidas noutras precedências e noutros locais, e que vou sentindo cada vez mais presente e que minhas não faço.
O Ser que, de acordo com a minha Natureza Maior de que não duvido, sou de Amor, Compaixão, Aceitação e Confiança incondicionais. E isto mesmo que o Universo, na sua infinita sabedoria e inteligência, nos confronte ao colocar a Alma a latejar de impotência total e o nosso Espírito a ter de aceitar sem condição que uma parte de nós possa, por ora, querer simplesmente dar por finda a sua "comissão de serviço".
Por uma vez, este sou eu.

20 Maio, 2013

na compaixão



"No amor há gratidão, há uma profunda gratidão. Sabemos que o outro não é uma coisa. Sabemos que o outro tem uma grandeza, uma alma, uma individualidade. No amor damos ao outro liberdade total. É óbvio que damos e recebemos; é uma relação de dar e receber, mas com respeito. O sexo é uma relação de dar e receber, mas sem respeito.
Na compaixão simplesmente damos. Na nossa mente não ha qualquer expectativa de receber nada, simplismente partilhamos. Não é que não recebamos nada! Recebemo-lo de volta multiplicado por um milhão, mas é acidental, é uma consequência natural. Não estamos a pensar em recebê-lo".
Osho, "compaixão".

18 Maio, 2013

sê livre.

"A vida mantem um equilíbrio entre os polos opostos. Por isso, só alguém que esteja pronto para aceitar a responsabilidade de ser ele mesmo, com todas as suas belezas, amarguras, alegrias e agonias, pode ser livre. Só uma pessoa assim pode ser livre.
A vida em toda a sua agonia e todo o seu êxtase - ambos são seus. E lembre-se sempre: o êxtase não pode viver sem a agonia, a vida não pode existir sem a morte e a alegria não pode existir sem a tristeza. É assim que as coisas são - não há nada a fazer quanto a isso. É esta a própria natureza, o verdadeiro Tao das coisas.
Aceite a responsabilidade de ser você mesmo, tal como é, com tudo o que tem de bom e de tudo que tem de mau, com tudo o que é belo e que não é belo.
Com essa aceitação dá-se uma transcendência e o individuo torna-se livre".
OSHO, in "Liberdade".
 

10 Maio, 2013

seja, sendo.



Já aqui disse e agora reitero: TUDO o que se manifesta e revela na EXISTENCIA tem um firme propósito, dotado de inteligência em si mesma, ordenado a fins maiores e comungando da natureza intrinseca dessa mesma existência. Basta-se, na singeleza e pureza do que É, em simplesmente SER!
Por isso, seja simplesmente o que É, sempre sentindo. Seja-o na sua totalidade, plenitude, integralidade. Seja-o no amor, compaixão e abnegação incondicionais.Surpreender-se-á, no seu estar só, com a indescritível beleza e encanto do teu Ser, mescla de estrelas e cores que se quer te revelar e do qual foges.

01 Maio, 2013

22 Abril, 2013

incondicional




Amar no incondicional é sempre um acto de Liberdade e de Aceitação. É sempre um acto de dar e dar-se, e aceitar em comunhão e de coração aberto, sem condição alguma. Que se realiza só nesse acto, sem nada em troca porque não é mercantil. É ontico! Nunca deve ser, porque É simplesmente. E realiza-se na plenitude de cada acto de liberdade, de doação e de aceitação.
Jamais é ou pode ser carcere. Jamais é ou pode ser apossamento - o Ser jamais será uma "coisa" e muito menos apropriável. Jamais amar no incondicional será ou pode ser escravidão, receber sem antes dar, exigir ou impôr ou qualquer vil acto de posse ou de limitação da Liberdade individual alheia. Como jamais pode ser "anelares dourados", quaisquer contratos ou outros estados de negação.
Quem assim pensa, age e actua, de qualquer forma ou feitio, jamais ama, a começar pelo próprio. E jamais ama outrem. Limita-se simplesmente a escravizar-se e a escravizar!

04 Abril, 2013



A dualidade é, e deve ser, uma ilusão, pelo menos mental, que deve ser sempre consciente. A unidade é Una e uma só. Ela mescla-se, à boa maneira taoista, de amor e aceitação incondicionais, quais faces simétricas da mesma e única moeda. Mesmo que, no limiar, uma parte do Ser se desvaneça às mãos da segunda (a aceitação) sem que o primeiro (o amor) saiba ou possa confortar.


20 Março, 2013

em plenitude




A demanda universal e individual de cada Ser é simplesmente a de que cada um seja o que É. Mesmo que conscientemente não saiba o que é. Sem virtualidades, sem dualidades, sem máscaras, sem renúncias a ser, sem artificialidades ou outros quejandos, em voga. Descortinando, sempre e ad continuum, a essência da aparência, o essencial do acessório, o relevante do fútil. Só assim pode o Ser ir sendo, em correspondência àquilo que É. E realizando-se, em plenitude.

19 Março, 2013

humanidade

«Recordemos que o ódio, a inveja, a soberba envenenam a vida. Quero com isto dizer que devemos vigiar os nossos sentimentos, o nosso coração, porque é ali que estão as nossas intenções, aquelas que constroem e aquelas que destroem. Não devemos ter medo da bondade, nem da ternura» - Papa Francisco, hoje.
Não, não é religião, muito menos católica, apóstólica romana. É muito mais, mais simples e universal: é simplesmente humanidade.

15 Março, 2013

sempre

 
 
Cada Ser é, sempre e só, uma essência por se auto-descobrir e se auto-manifestar. E que clama e demanda essa descoberta e manifestação a cada instante, por si mesma. Aqui, Agora e Sempre.

12 Março, 2013

estrelas que te guiam



Há em tudo um designio maior. Bem maior, sempre omnipresente e ominisciente. Está em Ti e dá por ti, no teu "self", qual concha que finge te esconder de Ti. Ouve-o. Nas batidas que as estrelas te guiam.

11 Março, 2013

uma e outras



Só o acto, libertador, do sofrimento é gerador de dúvidas, de luz, perante uma falsa verdade. E de certezas perante dúvidas. Por isso, sofre utilmente, só na medida do necessário para teres certezas e dúvidas verdadeiras. E sê pleno e feliz com elas. Umas e outras.