ame.

 
 
Ame. Limite-se simplesmente a amar no incondicional, a si mesmo, ao outro, a tudo o que a existência nos oferece, simplesmente por oferecer.
Ame. Limite-se a sentir, a aceitar e a ser, a cada instante, de forma total e  integral. Não julgue seja o que for. Dê o amor que nutre e que o alimenta o melhor que sabe e faça-o mais loucamente que sente, o mais genuinamente e natural que possa. Surpreeenda-se a surpreender.
Não desconsidere, não desvalorize nem menospreze a Luz do Amor de outro Ser para consigo. Não cometa essa injustiça e desamor a quem o ama, muitas das vezes bem mais que você próprio. Pode estar aí a tábua de salvação, ainda encoberta no lodo do lamaçal, escondida no quarto minguante da Lua que se não revela ou na nuvem cerrada que parece desviar o raio de Sol.
 

Comentários

Claudia Perotti disse…
Lindo lindo lindooooo!
Beijinhossss
:). pôs-me a sorrir. beijos, querida

Mensagens populares deste blogue

aceite-se.

anular-se

raiar

na compaixão