na compaixão



"No amor há gratidão, há uma profunda gratidão. Sabemos que o outro não é uma coisa. Sabemos que o outro tem uma grandeza, uma alma, uma individualidade. No amor damos ao outro liberdade total. É óbvio que damos e recebemos; é uma relação de dar e receber, mas com respeito. O sexo é uma relação de dar e receber, mas sem respeito.
Na compaixão simplesmente damos. Na nossa mente não ha qualquer expectativa de receber nada, simplismente partilhamos. Não é que não recebamos nada! Recebemo-lo de volta multiplicado por um milhão, mas é acidental, é uma consequência natural. Não estamos a pensar em recebê-lo".
Osho, "compaixão".

Comentários

Mensagens populares deste blogue

anular-se

ame.

aceite-se.

raiar