À portuguesa.

Estão inscritos no Conselho Distrital da Madeira da Ordem dos Advogados 507. Ao número acrescem 45 advogados estagiários. Uma média de um advogados por 433 habitantes.
Brilhante. Em especial quando a Finlândia tem um advogado por 3.071 habitantes, a Suécia 1 por 2.146, a Républica Checa 1 por .1700 e a França um por 1.533.
À portuguesa é assim: não há fartura que não dê em miséria.

Comentários

Berdades disse…
Desconhecia estas estatísticas que o Directriz aqui postou. Realmente, o que faz falta na nossa querida e santa "terrinha", para ficar ao nível da França, Rep. Checa, Suécia e Finlândia, é mais habitantes! Somos mesmo tão pouquinhos!
Vamos lá pessoal a lhe dar forte e feio, a ver se a população aumenta porque os advogados já estão à espera!
Duarte disse…
Caro dr. Rogério, discordo de si quando dá a entender que há advogados a mais na Madeira. Na realidade há falta de advogados, para casos como:
- Pedir uma indemnização aos culpados pela morte de um condutor carbonizado, devido às mangueiras de extinção de incêndios da via expresso Cancela-Camacha não terem água.
- Pedir uma indemnização pela morte de dois trabalhadores em obras feitas à pressa para inaugurar antes das eleições.
- etc, etc,
directriz disse…
Não se crê que o problema aí seja propriamente a falta de advogados... .
Ante os números, a questão não é, pelo menos, o número reduzido de advogados.
Nem tão pouco creio que, ainda que os números fossem outros, exista presentemente falta desses tais advogados a que alude.
Duarte disse…
"Não se crê que o problema aí seja propriamente a falta de advogados..."

Concretize, dr. Rogério, concretize, que nós queremos saber a sua opinião sobre este assunto.
MC disse…
As estatísticas correctamente divulgadas esquecem-se da quantidade de advogados inscritos que não exercem e que estão impedidos.

Se existisse um excesso de advogados, não se colocaria hoje em dia, um problema gravíssimo como é o da procuradoria ilícita.
directriz disse…
A procuradoria ilícita e as questões elencadas pelo blogger Duarte não creio que decorram da exiguidade de advogados. Porventura de outras realidades mas não seguramente da média advogado/cidadão que temos. E números são números.

Mensagens populares deste blogue

anular-se

ame.

aceite-se.

raiar

na compaixão