Soft drink.

[escrita de café]

Para além do completo nojo, asco e indiferença, que mais é possível sentir/fazer quando se vê quem, por magia da enfabulação, carrega o peso da sua anormalidade com o maior sorriso do mundo?

Quando - por que a sua não lhe basta, tão miserável é e inútil persiste ser - limita-se a levar ao colo, aos ombros ou às costas a única razão da sua inútil e desgraçada vivência: os outros, a vida dos outros, os quês e os quids dos outros.

Numa açorda de resquícios de realidade, mentira a rodos, difamação e injúria como defesa, pesporrência em riste e esquisofrenia total e justificante, tudo transformada num soft drink de Verão. Bebida sofrega e impunemente. Porque sem isso não vivem nem sobrevivem, os (as) anormais!

Comentários

Élvio Sousa disse…
Pensamento súbtil..
Élvio Sousa
Élvio Sousa disse…
Pensamento súbtil...
Élvio Sousa
Su disse…
gostei desta catarse

asco..a mim dá.me asco esses seres fabulasticos que pairam como aves


jocas maradas
rfs disse…
Élvio: às vezes a subtileza tem de ser rude. Agradeço o comentário.
Su: alivia, pelo menos. :)

PS - E assim altero a decisão de não comentar os comentários, de 22-12-2007.
Paula Raposo disse…
Gosto destas escritas de café. Excelentes!
rfs disse…
:)
Agradeço a simpatia das palavras.

Mensagens populares deste blogue

aceite-se.

ame.

anular-se

raiar

na compaixão