Maldita sina.

No meio de tanto sabotador à solta, da vaga muculmana - não é do norte de África mas do Afeganistão - a delapidar a riqueza e a "enconomia" do povo superior e com tantos gangs, locais e internacionais, a saquear, sem pejo, o fruto de laboriosos anos e sem que as autoridades cubanas impunham a Lei e a Ordem, só restam moinhos de vento. Que rodam ruidosamente em dias de tempestades. Mais fictícias do que reais, mas verdadeiras tormentas. Decididamente, o mundo está perigoso. Já nem sequer num pedaço de pedra perdido há paz. Maldita sina! Ops, virgem santíssima.

PS - O Sr. Presidente do Governo Regional não defende os empresários porque estes têm as suas associações para o fazer. Ponto final. Mentes preversas e ilusionistas as que pensam o contrário ou que pensam vê-lo e assistí-lo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

anular-se

ame.

aceite-se.

raiar

na compaixão