Nada para dizer.

Não há paciência nem vontade para escrever. Porque não há nada sobre que se escreva.
Nem sequer sobre a circunstância de no actual estado das coisas nem o sabão azul lavar a falta de memória. Como nenhuma perplexidade se ofecere manifestar sobre os repetidos passos de magia:
"Cuba" já era: passou a extremosa Républica, a quem se apela; o Presidente da Républica, já não é o "Sr. Silva", mas o último recurso. A III Républica, demonizada, é, finalmente, a salvação!
Decididamente, não há nada para dizer.




Comentários

Mensagens populares deste blogue

anular-se

ame.

aceite-se.

raiar

na compaixão