Planeamento Territorial

Numa excelente e imperdível conferência sobre "Planeamento Territorial", da autoria da Profª. Maria da Glória Garcia da Universidade Clássica de Lisboa, duas sintomáticas notas:
1ª - estiveram presentes não mais do que 10 a 15 pessoas, com a sala cheia de cadeiras. Um juiz, um procurador, quatro ou cinco advogados e outros tantos advogados estagiários, presume-se. Brilhante! Mas é assim mesmo: os ignorantes julgam-se sempre donos da verdade, em especial da que não conhecem.
2ª - a conferência tinha hora marcada para acabar e foi ver, numa pontualidade britânica, o diligente sr. funcionário apressar, porque tinha a porta para fechar. A vergonha não chega a todos, em especial ao chefe do dito.

Comentários

Zarco disse…
Num “tempo de antena” do PSD-Madeira, transmitido a semana passada na RTP-M, os madeirenses foram alertados para a existência de um grupo de políticos “foleiros” e “patas rapadas” que prejudicam a qualidade da democracia na Madeira e o seu desenvolvimento. Totalmente de acordo. Subscrevo na integra. Tem razão, sim senhor. E é bom que os madeirenses saibam que essa é a verdade e reflictam serieamente sobre isso. Acrescento algumas pistas para que os madeirenses possam mais facilmente identificar esses tais políticos “foleiros”, “patas-rapadas” e “mal educados”:
1) São os políticos que elogiam a FLAMA e o Fascismo;
2) São os políticos que se recusam a festejar o 25 de Abril;
3) São os politicos que pedem avaliações psiquiatricas a outros deputados;
4) São os politicos que afirmam “nem um tostão para Timor”;
5) São os políticos que afirmam “estou a me cagar para a Assembleia da República”;
6) São os políticos que dizem aos outros partidos “eu defeco nessa gente”;
7) São os políticos que apelidam o Primeiro-Ministro de “fariseu” e “mafioso”;
8) São os políticos que chama os jornalistas de “filhos-da-puta”;
9) São os políticos que ameaçam, ofendem, perseguem e processam todos os que ousam expressar a sua opinião ou exercer a sua cidadania.
Podia dar mais pistas. Muitas mais. Mas penso que estas são suficientes.

Mensagens populares deste blogue

ame.

anular-se

aceite-se.

raiar

na compaixão