Muito bem servidos.

O DN do burgo indígena dá de parangonas que o Ministro das Finanças/Estado sofreu novo revés no caso da retenção das transferências de verbas para a Madeira. No que foi seguido acefala e irresponsavelmente pela RDP-Madeira nos noticiários da manhã de hoje.
Um e outra fê-lo, com o próprio teor da notícia escrita dá conta, falseando a singela verdade das coisas e, probreza confrangedera, confundido o inconfundível.
Ora, inexiste qualquer acórdão do Tribunal Central Administrativo Sul, tribunal esse composto por três juízes desembargadores independentes e soberanos. E, por outro lado, confunde-se um parecer de um sr. procurador do Ministério Público junto daquele Tribunal de 2ª Instância da jurisdição administrativa - por natureza sujeito a hierarquia, não independente e simplesmente autónomo - com o Tribunal, que é orgão de soberania.
As ditas notícias assentam numa clara mistificação, num erro grosseiro e na deturpação mais impúdica e escandalosa que se viu, sendo que a ignorância não as justificam nem as ameniza.
No actual estado das coisas tudo é possível: até inventar notícias.
E no que respeita ao DN a sua esquisofrenia é ainda mais paradoxal, pois que, aquando da prolação da sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal do Funchal que julgou procedente o processo cautelar, dedicou a este mesmo assunto um tratamento simplesmente miserável.
Pelos vistos, estamos bem. Muito bem servidos.

PS - O directriz continua a não ler pasquins ou jornais.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

aceite-se.

ame.

anular-se

raiar

na compaixão