Nada de estranhar.

O Sr. Presidente da Républica vetou politicamente o Decreto 50/X da Assembeia da Républica, que aprovava o novo regime da responsabilidade civil extracontratual do Estado e demais entidades públicas. E que, por consequência, revogava o regime de 1967, que nem com a Constituição em vigor se conformava ou se conforma.
Ao fazê-lo com os concretos fundamentos com que o fez, demonstrou à saciedade - e se necessário fosse! - que ele mesmo não é parte de qualquer solução chamada Portugal. É, pelo contrário, parte intrínseca do problema. O que, em abono da verdade, não é nada de estranhar.

Ler o anterior post:
O direito de cidadania de não votar.

Comentários

directriz disse…
Mais inusitado é ainda o completo silêncio sobre a matéria. Nem os putativos comentadores, que se tenha visto, alguma alusão a isso fizeram.
A coisa não está para heróicos pontos de vista. A crítica tem um preço...

Por onde andarão o nobre povo, a nação valente e imortal?...
directriz disse…
Esse? Que não se acovarda? Só na nossa delirante imaginação...
Menina_marota disse…
Portugal está de "férias"... quando acordarem será tarde... mas, isto digo eu, que durmo pouco... e não faço férias.

Bj e boa semana ;))
directriz disse…
Não creio que o pais esteja de férias; ele é um permanente estado de férias...
Carla disse…
"ele é um permanente estado de férias... "

Um bom item para acrescentar ao meu post sobre o que é ser tuga... :)
directriz disse…
como diz alguém, penso eu de quê!

Mensagens populares deste blogue

aceite-se.

ame.

anular-se

raiar

na compaixão