Sem remédio, pois.

A ignorância campeia a rodos. E pela e com a ignorância - refinada de uns e colossal de outros - a saloiada - mais queque aqui, mas grosseira acolá ou mais bucólica ali - tudo e todos julga, fazendo uso do crivo da sua putativa e pífia inteligência. E sem que a burrice seja sequer mitigada por mínimo bom senso. Sem remédio, pois.

Comentários

Começam as palavras a faltar, não é assim?...
A indignação, por vezes, sufoca-nos!
directriz disse…
É.
Dias há que "isto" é impossível.
mad disse…
Lamentavelmente sem remédio.
directriz disse…
É. O advérbio é suficiente.

Mensagens populares deste blogue

aceite-se.

ame.

anular-se

raiar

na compaixão