Hábito II.

«Se não se avançar rapidamente para a revisão, vamos ter um mandato em que um PDM está totalmente desactualizado e em que se continua a tomar decisões de uma forma arbitrária»- Sr. Vereador Carlos Pereira da Câmara Municipal do Município do Funchal, em conferência de imprensa relatada hoje pelo JM. O Sr. Vereador continua, de "hábito", a afirmar o contrário do que o bom senso impõe. PDM desactualizado? Mas esse é o problema da cidade do Funchal? Ou não será a sua não aplicação, como o mesmo Sr. Vereador já reconheceu e contribuiu com o "hábito". Desactualizado relativamente a quê? A mais betão e edificação?! Decisões arbitrárias? As decisões de duas uma: ou são legais ou ilegais, sendo que estas podem sê-lo se tomadas arbitrariamente.
Ainda assim o que se esperava é que o Sr. Vereador se comprometesse com a legalidade das decisões, com a aplicação do PDM e não que aligeirasse a necessidade do seu cumprimento e, apontando para a sua revisão, incentivasse o seu incumprimento.
1º PS - Uma conferência de imprensa sobre matéria para a qual não era exigível a intervenção do órgão Câmara Municipal é revelador de "non sense". Como esse agendamento em si mesmo também o é. 2º PS - Ver anterior post de 27-11-2005 "O hábito".


Comentários

Mensagens populares deste blogue

anular-se

ame.

aceite-se.

raiar

na compaixão